Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

1 de fevereiro de 2010

A Volta da cartomante/ Certo e errado

Oie meu povo!! Bem agora parece que estamos todas aqui e toda brozeadas neh :D Mas voltando... hoje é um dia muito especial sabiam? Não o Robert não ta na minha casa... [efeito do fumo] Hoje faz um ano que eu participo desse blog... o tempo voa neh...Parece que foi ontem... Mas eu continuo aqui como a desocupada que sou :P
Fiquem com a minha história hoje como é um dia importante, vou dar uma colher de chá pra vocês e postar duas partes :D

A Volta da Cartomante

Thiago a beijou intensamente e a confusão de sentimentos dentro de Yara continuou, mas em segundo plano, em primeiro estava aquele vampiro que a apertava em seus braços. Quando o beijo acabou, ela teve a sensação que foi rápido demais... não houve tempo para reação e ele já falava em seu ouvido “Eu volto, pense em mim”, e sumiu no meio da noite.
Yara não acreditava na própria sorte, por um lado estava feliz, mas por outro se sentia imensamente triste com toda essa situação... mas teria que escolher, como milhares de outras mulheres, entre a razão e o coração. Sentiu um vazio enorme e resolveu que iria sair de casa, não agüentava a prisão que se transformava as quatro paredes do seu quarto, antes ela tomou um banho, tirou seu vestido e vestiu uma coisa mais leve, uma saia com uma blusa com um decote não muito exagerado, saiu de casa sem rumo.
Não sabia para onde queria ir... não queria ficar sozinha, pois essa situação a estava corroendo por dentro, saiu caminhando na direção de qualquer ruído que escutasse, acabou por chegar em um parque de diversões, relembrou a felicidade que tinha quando era pequena... continuou caminhando até que uma mulher a parou bruscamente.
- Moça posso ver que a senhorita tem que tomar uma decisão difícil.
- Quem é a senhora?
A mulher que a parou aparentava estar chegando aos 60 anos, se vestia como uma cigana e tinha um olhar profundo apesar de seus olhos serem de um azul tão claro como um céu limpo e sem nuvens.
- Eu só falo o que sei senhorita... e posso ver até sem ler a sua mão que precisa de orientação...
- Então a senhora é uma espécie de cartomante?
- Se é por esse nome que a senhorita conhece... sou sim, venha comigo e eu lhe mostro.
A mulher a levou para uma tenda montada que a fez relembrar sua infância, no dia do seu aniversário quando tinha entrado em um lugar parecido...
- Posso ver sua mão moça?
- Claro me diga o que vê...
A mulher ficou branca como cera e por um momento Yara achou que ele tinha tido um treco, mas a mulher recuperou a cor e falou com um tom seco na voz.
- Moça eu não sei o que você é mas sei de uma coisa, seu destino esta virando, e você tem que fazer o que é melhor pra você, esta na hora de ser feliz, por que só vejo sangue em seu passado.
A mulher praticamente expulsou Yara da barraca, e ela voltou a andar pensando no que aquela senhora tinha lhe dito, começou a correr sem rumo pensando que quando se é imortal não se deve ir a cartomantes... a corrida a levou em uma colina onde podia ver o sol nascendo. Ficou ali parada sozinha, pensando na vida... e adormeceu, estava cansada, não se lembrava da ultima vez que tinha dormido. Dormiu um longo sono sem sonhos.
Acordou com uma voz de veludo no seu ouvido “Acorde princesa... deu trabalho achar você aqui sabia?”, ela se levantou assustada, olhou o céu e já era noite novamente, tinha dormido o dia todo, olhou para os lados e viu a pessoa que a tinha acordado. Thiago estava de volta como havia prometido, ele a tinha seguido até ali.
- O que você esta fazendo aqui?
- Acho que você é que não devia estar aqui, não te falei que voltava?
- Você não pediu para que eu ficasse em casa.
- Eu deduzi que você ficaria... mas estava enganado, você sempre me surpreende...
- Por que esta aqui devia estar com medo... meu temperamento é imprevisível...
- Você não vai me matar. Não hoje nesta noite...
- Posso saber por que?
- Por que essa noite você é minha Yara...

________________________________________

Atenção

Essa parte do conto me custou muita, mas muita criatividades mesmo... então é melhor as puritanas online sairem de perto do PC rsrs

________________________________________

Quando se é imortal, poucas coisas são erradas

Thiago chegou bem perto em uma velocidade que olhos humanos não acompanhariam, mas Yara acompanhava, e a beijou ternamente.
- Thiago o que você quer de mim, você sabe que isso é errado, estamos brincando com fogo.
- Ah querida... Quando já se esta condenado a ficar de castigo, por que não fazer bagunça? Somos dois imortais, e quando se tem a eternidade, poucas coisas são erradas, por que o tempo é relativo, o Tempo não passa de uma ilusão criada por nossas mentes, na medida em que caminhamos através da duração eterna... Estou cansado de ficar sozinho.
- Mas você poderia ser mais racional e escolher uma vampira, ou transformar alguém...
- Ela não cheiraria tão bem quanto você querida. Agora pare de ser moralista... Vai me dizer que não gosta do cheiro de vampiros também?
- Para mim é só diferente do cheiro humano... Talvez um pouco doce...
- Acho que eu preciso melhorar seus sentidos...
Ele a beijou de novo, só que dessa vez foi um beijo ardente cheio de paixão, Yara sentiu quando toda sua preocupação foi embora, sabia que ele tinha mexido com suas emoções, mas não se importava, ela queria mais. O beijo foi se prolongando, ela sentiu as mãos do vampiro nos botões de sua blusa, mas não fez nada para impedir, era maravilhoso, toda vez que ele a tocava era uma sensação nova e diferente, sentia um arrepio percorrer seu corpo a cada caricia que os dois trocavam, naquela noite ela sentiu o mais puro prazer enquanto Thiago a pressionava na grama.
Depois eles trocaram um olhar de cumplicidade, e ela viu os longos caninos crescerem por causa da excitação, pensou que das coisas que ela podia fazer na sua longa vida anormal, essa com toda certeza era a mais irônica, mas mesmo assim ela deitou à cabeça no ombro deixando seu pescoço a mostra, viu quando Thiago lhe deu um sorriso lindo e cheirou seu pescoço antes da mordida.
Agora ela entendia por que, mesmo depois que os humanos percebiam o que estava acontecendo, eles nem ao menos reagiam... Era simplesmente prazeroso e gratificante, ela sentia cada parte do seu corpo reagir de uma forma diferente a perda de sangue, e se pegou pensando que era uma linda forma de morrer. Quando ele parou, ela pode ver uma gota do seu sangue escorrer do canto de sua boca, levantou a mão e secou a gota.
- Então meu gosto é tão bom quanto meu cheiro?
- Na verdade é melhor... agora vou levar você pra casa.
- Do jeito que você fala, parece que vou ser assaltada da esquina...
- Tenho que cuidar do que é meu...
- Seu? Não to sabendo disso...
- Ah! Que cavalheiro que eu sou...
Ele a jogou novamente na grama com um beijo, depois que seus lábios de separaram ele procurou no casaco uma caixinha de veludo preta, de onde ele tirou uma aliança que ele colocou rapidamente na mão direita de Yara.
- Senhorita Yara você aceita namorar comigo por um período interminável?
Ele disse isso com um sorriso lindo, impossível resistir.



Eita será que é agora? bem eu não sei [mentira...] mas se quiserem saber já sabem como é neh? dois dias... mas amanhã [se minha mãe permitir] tem outros posts e assim que a vida voltar ao normal eu continuo o nosso Top- Top de Vampiros gatos [ui] :D

P.S. Não fiquem muito afobadas não ta... infelizmente essa fic que fiz pra minha amiga ta acabando...Pois é... esse é o penultimo post...tudo acaba na vida :P


By_Flávok_
"pior que não ter onde cair morto é não ter onde ficar em pé vivo..."

0 comentarios:

Assuntos