Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

22 de junho de 2009

Lembranças

Continuando com a história...

***

Eu não me movi de onde estava por muito tempo, eu não desejava enfrentar a indulgência de Esme, ou a presunção de Rosalie, e mais do que tudo, eu não queria interromper Bella e Carlisle.

Momentos como este, eram raros e fascinantes para mim. A oportunidade de acessar os pensamentos de Bella, ainda que indiretamente, eram irresistíveis. Por isso eu passava cada noite vigiando seu sono ou a seguia pelos olhos de outros sempre que podia.

Entretanto existia outro motivo que me segurava naquele lugar - eu ainda não estava pronto para enfrentar as escolhas difíceis que eu deveria fazer mais tarde.

Quando eles falaram de minha mãe humana, minha respiração ficou presa na garganta ao ver o rosto dela através da mente de Carlisle mais uma vez. A memória de minha mãe é uma das poucas lembranças humanas que lutei para manter. Seu rosto em minhas próprias lembranças era impreciso, um tanto vago; mas as lembranças de Carlisle eram claramente nítidas e eu podia ter cada traço do belo rosto perfeitamente definidos.

Eu não costumava falar da minha mãe humana, nem mesmo para Bella. Ao longo dos anos eu aprendi que minha dor não a faria voltar. Mas eu lembrava -ainda que de forma nebulosa- do som da voz dela quando cantava para mim ou daquela risada cristalina quando tentava me ensinar algo ao piano. Eu sei que minha mãe adoraria Bella – se pudesse conhecê-la.

Bella estava totalmente fascinada pela história de Carlisle, mas isso não a fazia compreender todas as implicações das decisões de uma mãe amorosa e delirante e um homem desgastado pela solidão. Ela não entendia a que tipo de “vida” eu fui condenado. Eu nunca poderia fazer o mesmo com ela, eu nunca me perdoaria por destruir tudo que o ela é. Como eu poderia encontrar justificativas para isso?

"Eu não me arrependi, todavia. Eu nunca lamentei ter salvado Edward", Carlisle falava. Sinto muito por isso, mas é a verdade.

“Eu não lhe culpo por isso Carlisle, não se preocupe”, eu sabia que Bella não poderia me ouvir, mas Carlisle sim. Ele balançou a cabeça. Eu sei, mas ainda assim...

Por que ele tentasse negar, aqueles anos após a minha transformação em que eu me entreguei a uma rebeldia injustificada, especialmente contra Carlisle e seus sábios preceitos deixaram marcas. E ainda hoje lamento pela dor que causei.


karol

4 comentarios:

Cah disse...

Fanfic! ADORO!
escrevi um livro, sobre vampiros, que começou como uma fancif.
Se você quiser lê-lo, entra no meu blog depois. É estilo Crepúsculo. Sou uma fã doente pela Stephenie.

vou seguir seu blog, adorei ele.

beijos.

Marcela de Vasconcellos disse...

Tadinho dele...meldeus!!!

Monique Feels Tudo isso disse...

Ele fica tão fofo carente! =D

Eu dou colinho pra ele!

Lane disse...

É a primeira vez q acesso o blog, quem escreve os pensamentos apartir de Edward? A autora? Tô curiosa?

Assuntos