Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

23 de janeiro de 2009

Crepúsculo da puberdade

Hoje recebemos uma matéria interessante sobre crepúsculo do nosso amigo Paulo K do blog the K theory. Veja só:



Novo hit cinematográfico reinventa os filmes adolescentes com romantismo demais e sobrenatural de menos. Chega a hora de Crepúsculo e a saga da família Cullen nos cafundós dos Estados Unidos


Os vampiros estão em alta no mercado americano. Num ano que já viu o retorno dos Garotos Perdidos (garotos perdidos? Quem são eles?) às telas e marcou a estréia da fantástica série True Blood na HBO (que áliás tem outro vampiro muuuito gato), o gênero fechou o ano com chave de ouro nas bilheterias de cinema com Crepúsculo, de Catherine Hardwicke. É romance adolescente assumido, com pitadas de sobrenatural e a certeza de longa vida nos cinemas para sorte de Robert Pattinson (Harry Potter e o Cálice de Fogo) e Kristen Stewart, que interpreta Bella. (Êhhh, vida longa a Pattinson!!!)


O sucesso de Crepúsculo, livro de Sthephenie Meyer, foi determinante para sua adaptação cinematográfica e, de mesmo modo, garantiu a recepção alucinada a filme e atores em Los Angeles. A première oficial do filme foi presenciada por mais de 2000 fãs que, mesmo sem poder assistir ao filme, transformaram a porta do cinema num inferno por conta dos gritos, flashs ininterruptos e tentativas de agarrar os “novos astros”. Pattinson sofreu o pior, ao ser agarrado por algumas vezes e ouvir pedidos de “me morda, por favor”. É fanatismo exacerbado. E tudo isso mesmo antes do filme estrear. Meninada exagera, não? (Infelizmente eu sou obrigada a concordar :/ Hellooo. O Spunk Ranson não é vampiro) Ainda bem que o Ozzy nunca fez um filme, porque se alguém pedisse para morder, ele não pensava duas vezes! (aff)


Claro que tamanho alvoroço só poderia ser traduzido como hit nas bilheterias, afinal, Crepúsculo tem tudo que o momento precisa: romance adolescente, mundo da geração IPod e, claro, vampiros bonitões prontos para arrebatar corações, e pescoços (SÉRIOOO, eles estão prontos??? o meu pescoço também), das jovens espectadoras. Crepúsculo beira a idolatria nos Estados Unidos e, curiosamente, abrange muito mais que as adolescentes ensandecidas. A segunda maior fatia de espectadores é composta por crianças entre 10 e 12 anos, afinal, ao verem seus irmãos e irmãs mais velhas falando tanto sobre a história, os pequenos pegam gosto pela coisa. (claro, até uma garota de 12 anos é capaz de perceber o quão perfeitos são os Cullen)
Bom para Hollywood e, claro, para o habito de leitura, que é reforçado com esse tipo de fenômeno. Situação que, aliás, não era vista desde o surgimento de Harry Potter. Porém, Crepúsculo vai além de mera atualização de filmes de vampiros, o produto revitalizou os filmes adolescentes com suas fórmulas manjadas e dramas envolvendo “amigas para sempre” e “popularidade’. (Aff, GRAÇAS A DEUS. Ninguém aguentava mais as Hilary's Duff's da vida) Esse universo foca na individualidade e no potencial da força de vontade de cada um de seus personagens, por conta disso, tanto os vampiros – em especial Edward – quanto os humanos podem atravessar seus ritos de passagem e amadurecer ao longo do processo. Tudo isso sem ser óbvio, um ponto mais que positivo. (Wow, filosofou agora)

Claro que, retirados os elementos vampirescos, Crepúsculo seria apenas mais uma história de amor juvenil, uma espécie de Romeu e Julieta com desfecho feliz. São dois mundos em conflitos e dois jovens ensaiando os primeiros passos de uma vida eterna juntos, mas nem tudo são flores e o próprio trailer apresentava um inimigo e uma grande luta. O confronto é frustrante e resolve-se rapidamente sem grandes demonstrações de poder extremo dos seres da noite envolvidos na peleja. (AI. Não, nem fala é revoltante ) Ou querem nos convencer que, no máximo, vampiro fica se jogando de um lado para o outro? Ninguém esperava metamorfose, mas o resultado é mais para empurra-empurra do que luta em si. Talvez aí esteja o ponto fraco de Crepúsculo: sentimentalismo demais e sobrenatural de menos. (Nooope. É modificação demais e dinheiro de menos)

A revelação de Edward como vampiro gera uma cena belíssima, com sua pele revestida em diamantes microscópicos e todo o deslumbramento causado em Bella. (hã?! Aquele brilho fajuto?) Os hábitos peculiares dos Cullen também geram boas situações, mas tudo é sempre ditado pelo aspecto social e familiar. Claro que ninguém esperava por vampiros com capa e sotaque a là Bela Lugosi, mas o aspecto fantástico ficou em segundo plano, o que poderia garantir mais impacto no público adulto e nos seguidores mais fiéis ao mundo dos vampiros. (sinceramente, tudo nesse filme ficou em segundo plano)

Crepúsculo é bem-feito, cumpre sua função e entrega um belo romance, mas até quando o final feliz pode durar? Afinal, um deles ainda é mortal e o tempo é inexorável. (meldels, é só baixar Braking Dawn e você vai saber o obvio :p )

Só uma perguntinha: Catherine Hardwicke, que já está fora dos próximos filmes, gosta tanto assim da Nikki Reed? Tudo bem que é só um papel pequeno, mas lá está ela! Tudo bem Wood Allen ter suas taras por grandes atrizes e etc, mas essas duas não desgrudam? (Concordo! Fala sério. Ela nem tem nada haver com a Rose. Outra decepção!)

Fonte: leia o artigo original

♠ karol

7 comentarios:

feeh disse...

(Y) meu pescoço está pronto tbm!!!
cara amei os comentários da karol sopakspoakspoakpsokaop

Penélope disse...

aaa
a materia ta boa! ;p
mas aff...
eu ainda procuro no filme o " brilho de Edward"!!
num era para parecer pequenos diamantes aglomerados, ou alguma coisa parecida?!?
fico com o cargo de "miss purpurina"...
mas faze o que...

Juli disse...

Nossa os comentarios ficaram perfeitos sobre o texto, parecia msm um dialogo só faltou o K. falar "hunrun verdad, continuando..."

Mas voltando a cena da purpurina. Preciso falar da necessidad d uma pouco mais d academia?...até a Bella pareceu meio decepicionada quando ele abriu a camisa.

(sooorry, tbm tenho necessidad d dividir meu comentarios :x )

yas disse...

Verdade Penelope!
quando vimos em casa no pc achamos que faltou brilho por causa de quem filmou e tal e quando foi no cinema e ele não brilhou...eu quese chorei!(tá nem tanto eu não chorei por isso!)
acho que foi a falta de dinheiro e tal's!

karol disse...

"Mas voltando a cena da purpurina. Preciso falar da necessidad d uma pouco mais d academia?...até a Bella pareceu meio decepicionada quando ele abriu a camisa"

ApoiadoOoOoOoOoOo!!!
Tipow, cadê o tanquiho, o peitoral e tal's???
Pelo que a Bella me falou o Edward era gostoso +p

Abby disse...

Mesmo assim!!! "he's bringing the sex back!!!"
Hey, foi photoshop total [o Rob tem barriguinha de chopp, o mundo inteiro acabou percebendo]

Paulo Ka disse...

Bem meninas, relamente eu li em algum lugar que a tal cena do "brilho" não teve talvez o impacto que deveria mas foi justamente devido ao orçamento baixo do filme. Quanto a barriguinha de chopp do Mr. Rob, olha sinceramente eu não me importaria nenhum um pouco em ter uma igual kkkkkkkkkkkk. E acho que a Bella naquele momento o que ela pensava era que: "nossa posso cortar ele em pedaços e vender na Tiffani´s e ganhar uma boa grana p/ faculdade e comprar um Volvo" kkkkkkkkkkkk brincadeirinha.... beijos!

Assuntos